X Congresso Mineiro de Clínica Médica e VI Congresso Mineiro de Medicina de Urgência e Emergência

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

SEPSE FUNGICA: A IMPORTANCIA DO SEU RECONHECIMENTO E DIAGNOSTICO

Fundamentação/Introdução

Introdução: A prevalência de infecção por Candida em CTIs (Centro de Terapia Intensiva) no mundo é em torno de 17%, sendo associada a uma alta taxa de mortalidade decorrente de sepse, similar àquela causada por patógenos bacterianos. Colonização multifocal, cirurgia recente, nutrição parenteral total e sepse grave são fatores de risco comuns para candidíase invasiva (CI) definidos pelo Candida Score (CS), que nos apontam a possibilidade de considerar a realização de tratamento antifúngico.

Objetivos

Objetivos: Nosso objetivo foi chamar atenção para a identificação dos potenciais fatores de risco para CI, ressaltando a relevância do seu reconhecimento e diagnóstico precoce para redução de mortalidade.

Descrição do caso

Descrição do caso: JCS, 63 anos, masculino. Realizou duodenopancreatomia (Whipple) devido a neoplasia em cabeça de pâncreas. Apresentou choque hemorrágico no pós operatório imediato, sendo realizada nova laparotomia. Trinta dias dep¬ois, apresentou fístula enteroatmosférica com consequente desnutrição grave e necessidade de nutrição parenteral total. Durante internação no CTI, intercorreu com múltiplas sepses, sendo tratado com meropenem, teicoplanina e polimixina B. Após permanência em enfermaria, readmitido no CTI com choque séptico, foi suspeitada candidemia invasiva, confirmada por hemocultura e tratada com anidulafungina. Paciente evoluiu para óbito quatro dias após início do tratamento. Sob análise do Candida Score, ferramenta de identificação de risco precoce para candidíase invasiva, pacientes com CS de 3+ apresentam incidência de CI de 15.7%, com mortalidade significantemente alta nesta nessa condição (51,7%), quando comparada com pacientes não colonizados (25,8%). Sendo assim, o paciente em questão apresentou um CS de 4 (sepse grave, 2 pontos; nutrição parenteral total, 1 ponto e cirurgia à admissão, 1 ponto), justificando o tratamento empírico com equinocandinas. Além disso, o paciente apresentava outros fatores de risco para CI, como: imunossupressão, tempo de internação hospitalar, terapia com antibióticos de largo espectro, ventilação mecânica e cateter venoso central.

Conclusões/Considerações Finais

Conclusão: As altas taxas de letalidade dessa doença implicam na importância de seu reconhecimento precoce, com utilização de ferramentas à beira leito, a exemplo do CS. O atraso do tratamento para CI é preditor de aumento da mortalidade. Apesar do óbito do paciente em questão, a presença dos diversos fatores de risco para essa infecção ilustra e ressalta a relevância de seu diagnóstico.

Palavras Chave

Palavras-chave: candidíase invasiva; sepse fúngica; candida score; equinocandinas;

Área

Clínica Médica

Instituições

Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (IPSEMG) - Minas Gerais - Brasil, Universidade Federal de Minas Gerais - Minas Gerais - Brasil

Autores

FERNANDA RIBEIRO RODRIGUES, Juliana Vieira Dantas